Tijucas do Sul e a história do artista Sergius Erdelyi

Quando chega o final de semana, a gente sempre aproveita pra conhecer os arredores de Curitiba, e fomos visitar a cidade de Tijucas do Sul, um lugar absolutamente incrível, e que fica super perto.

Do centro de Curitiba até Tijucas do Sul são mais ou menos 50min, seguindo pela estrada rumo à Santa Catarina. Você vai precisar passar o pedágio, mas a boa coisa é que esses pedágios pra SC são baratinhos e custam apenas R$ 2,70. Logo passando o pedágio já vai ter a saída pra Tijucas do Sul.

A cidade em si é super pequena e tem poucos atrativos, mas o suficiente para você programar um dia todo por lá, principalmente se quiser conhecer mais da história do lugar e do artista austríaco Sergius Erdelyi. “Mas quem? O que? Não conheço essa pessoa nunca ouvi falar!” Olha, nós também “desconhecíamos”, até por isso foi uma visita ainda mais incrível!

Coloco desconhecia entre aspas porque se você já foi ao Museu Oscar Niemeyer e já notou que lá atrás perto do parcão tem uma cadeira gigante… então você já teve contato com este artista. Na verdade ele é bem importante pra história da arte no Brasil, já teve exposição no próprio MON e em bienais, além de livros lindos sobre ele, que o colocaram no dicionário das artes no Brasil.

Começamos a visita no Sabia Laranjeiraatualmente uma casa criativa/casa de hóspedes, mas que antes era a casa do Sr. Sergius! Ele veio pro Brasil na época da guerra, não exatamente fugido, mas porque tinha trabalho por aqui. Era engenheiro e teve muitos trabalhos importantes em empresas como a Volkswagen. A parte artística era totalmente um hobby (que rendeu mais de 2 mil peças!), e nos anos 70 ele veio pra cá, Tijucas do Sul. Construiu essa casa linda, enorme – um pouco “labiríntica”, fato – para ele e a esposa, e criou muitas peças ali. Quando chegou aqui, também fez um trabalho enorme de reflorestamento, que se mantém vivo ainda com o Instituto Sergius Erdelyi.

Tinha de tudo um pouco no repertório artístico do Sergius. Teve pintura, teve arte digital, teve vidro, teve vitral, esculturas em concreto, em madeira, em aço… Várias técnicas diferentes e trabalhos muito interessantes. E quer saber? Nenhuma obra nunca foi vendida! Para ele, as obras eram filhos, e filhos não se vendem. Então pensem tudo que tem nesta casa e em Tijucas para ser visto!

Sabiá Laranjeira é basicamente um museu da vida do Sergius, e cada cantinho tem uma história bacana. Lá você pode promover eventos, encontros, passear durante o dia ou até dormir. A casa conta com 5 quartos e consegue receber até 20 pessoas em camas. Se quiser ir em mais gente dá também, mas aí a acomodação é em colchões pelo chão.

Quem administra a casa agora é a Marília e o Bruno, que também é artista e faz cerâmicas lindas no antigo ateliê do Sergius. Que privilégio, hein!? Eles nos receberam muito bem e nos fizeram sentir em casa, bem como os outros hóspedes que estavam lá.

Para quem quiser dormir, o valor começa em R$ 100 por pessoa, ou R$ 150 o casal. Para grupos tem preços diferenciados e também para fazer eventos específicos é necessário conversar certinho com eles para ver o que será oferecido.

Ainda sobre Tijucas do Sul, já tem um museu inteirinho pronto com os trabalhos do Sergius, que foi inaugurado agora em Outubro. Ele fica dentro do complexo da Prefeitura local, que também tem uma construção bem diferente, européia e nem parece que estamos no meio de uma estradinha tão escondida.

Outro passeio indispensável por Tijucas, é a visita ao Recanto Saltinho, que fica a mais ou menos 8km ali do Sabiá. O Recanto é um parque, cuja entrada custa R$ 15 e você pode fazer basicamente o que quiser lá. Você pode levar sua comida e fazer seu almoço ou piquenique, pode acampar, pode só passar o dia e curtir a água, pode fazer stand up, pode almoçar lá mesmo. Tudo bem livre.

Nós almoçamos lá, no restaurante que fica bem de frente pro Saltinho, que é lindo! O restaurante é simples, casa de parque, e a comida é uma delícia, super bem servida. Lá você encontra várias opções já montadas de pratos para 2 pessoas, sempre com alguma carne e diversos acompanhamentos; encontra também opção vegetariana; e ainda tem a opção de escolher tudo separado e montar seu próprio combo.

Nós escolhemos uma opção que vinha o contrafilé acompanhado de arroz, feijão, salada, salada de batata, e era para duas pessoas. O prato completo custa R$ 80 para 2, e a porção extra que pedimos de polenta frita foi R$ 15. Sobrou comida e comemos MUITO, muito mesmo.

Demos um rolê pelo parque e depois voltamos pro Sabiá Laranjeira pra um café da tarde e para curtir mais essa casa tão linda. Saimos de Curitiba por volta das 9h30 e saímos de lá pra voltar às 19h! Passamos realmente o dia todo pela região.

Tem tanta coisa legal tão pertinho e a gente nem nota, né? Nunca imaginávamos que um artista desse porte com casa e museu em uma cidade tão pequena e meio desconhecida pela maioria das pessoas estaria aqui, tão pertinho em Tijucas do Sul. Quando pensamos em viajar e museus e arte e afins, imediatamente pensamos em ir pra fora. Pra fora do país ou ainda para as capitais, São Paulo, Rio… e olha aí, do nosso lado tem muita coisa.

COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email